Entrevista com Rodnei da Costa Larangeira

Entrevista realizada por Lillian de Souza Larangeira via e-mail:

Antes de iniciarmos o seu questionário gostaria de me apresentar profissionalmente, com poucas palavras contar um pouco de minha experiência e da minha carreira na Sabesp.

– Trabalho na Sabesp desde 09/02/1979, iniciei-me como ofice-boy da Gerencia de uma Regional Operacional, que tinha como responsabilidade o abastecimento e coleta do esgoto de uma determinada área física, quando não tinha serviço externo trabalhava como datilógrafo (preenchendo fichas cadastrais dos documento de reclamações) na agência de atendimento ao público, em reconhecimento da minha dedicação e responsabilidade fui promovido a escriturário na Agência, logo comecei a fazer plantões aos sábados, domingos e feriádos no setor de programação e obras (local onde recebia todas as reclamações e fazia a distribuição para as equipes de rua executarem os serviços), por gostar de desenhar na hora do almoço e após meu expediente fazia visitas a área técnica (local onde se faziam os desenhos e projetos) para aprimorar meu traçado e obter orientações, logo o pesoal percebeu que eu tinha vocação para a área desenho e projetos, indicaram alguns cursos e eu me matriculei na PROTEC onde fiz o curso de desenho de arquitetura, após a conclusão do curso prestei concurso interno a fui promovido para desenhista, mais tarde prestei outro concurso interno e fui promovido para projetista depois de algum tempo na função fui convidade a ser o Encarregado da área Técnica de Desenho e Cadastro da Sabesp, passei a ser responsável por todos os projetos e cadastros da nossa Regional Operacional até 1993, quando fui convidade a trabalhar na diretoria comercial para realizar implantação da nova estrutura organizacional da empresa em unidades de negócios qual ainda permanece até os dias de hoje, na diretoria comercial fui responsável pela leitura e entrega de contas de água que na época eram 2.900.000.000 ligações, voltei a estudar e conclui minha graduação no curso de Tecnologia em Construção Civil – modalidade edifícios, em 1995 foi decido em implantar a restruturação na empresa eu já estava formado em Tecnologia, comecei a preparar as áreas para receber os empregados descentralizados, depois passei a ser responsável por tados os serviços de manu manutenções dos edifícios de nossa Superintendência, das agências comercias, e dos serviços de rádio e telefonia, executei muitas reformas e adequações de áreas dentro da Sabesp, hoje estou enfrentando mais um desafio, faço parte da Superintendência de Meio Ambiente, uma área nova que tem muito a contribuir para o Saneamento Ambiental.

– Quais os projetos que você vem desenvolvendo na Sabesp ?
Atualmente na Sabesp estou trabalhando na Superintendência de Meio Ambiente, nosso trabalho é atender ao Ministério Público através dos TAC-Termo de Ajustamento de Conduta, onde a Sabesp se compromete em realizar obras de saneamento básico e ambiental de acordo com as Leis em vigência.
O cumprimento do TAC pode ser através de realização de Obra ou Compensação Ambiental, de acordo com as necessidades e deficiência do município como por exemplo:

OBRAS:
ESGOTO:- Pode ser desde uma complementação no SES-Sistema de Esgotos Sanitários existente, Regularização de um estação de tratamento de esgotos até uma Implantação completa de um SES-Sistema de Esgoto Sanitários, onde são executadas ligação de coleta de esgoto, redes de coleta de esgotos, Interceptores, Emissários, coletores tronco, EEE-Estação Elevetória de Esgotos e ETE-Estação de Tratamento de Esgotos.
ÁGUA:- Desde a complementação de um SAA-Sistema Abastecimento de Água existente, até uma implantação completa de um SAA, onde são executadas ligação de água, captação de água bruta, adutora de água bruta, ETA-Estação de Tratamento de água, redes de distribuição, EEA-Estação Elevatória de Água, Reservatórios de Abastecimento Água Tratada.
DRENAGEM:- Execução de projeto e implantação de Plano Diretor de Drenagem Urbana,
OUTRAS OBRAS:- Recuperação e adequação de balneário, Centro de recebimento de materiais recicláveis etc…

COMPENSAÇÃO AMBIENTAL:
RECOMPOSIÇÃO FLORESTAL:- Com plantio de árvores em áreas devastadas e onde sofreram intervenção do homem, recomposição florestal da mata ciliar dos córregos.
TRABALHO SOCIAL INTERNO E EXTERNO:- Educação Ambiental através de palestras, Programa Uso Racional da água, Programa Sabesp 3 Rs,  Projeto Água de Beber, Implementação do Programa Gases de Efeito Estufa-GEE,
PROGRAMA INSTITUCIONAIS:- Programa Córrego Limpo, Programa Onda Limpa, Programa Vida Nova, Projeto Tiête e Parque Varzeas do Tiête.,

Por se tratar de uma área nova com um pouco mais de 3 anos, a Superintendência de Meio Ambiente não tinha seus empregados locados numa mesma edificação. Em março de 2007 foi colocado a sua disposição uma antiga EEE-Estação Elevatória de Esgotos, onde foi desenvolvido um projeto de reforma com adequação do edifício para utilização de ambiente de escritório com a preocupação de gerar o menor impacto ambiental sem perder as características original do edifício para ser o endereço da Superintendência de Meio Ambiente. Após a conclusão do projeto em outubro de 2008, fui convidado para executar esta tão importante tarefa sendo também o administrador da obra.

– Quais os problemas e dificuldades encontradas para execução de uma obra de adequação com esse nivel de preocupação; de mater a característica original do edifício utilizando materiais ecológicos?
– Era previsto que iriamos encontrar problemas e dificuldades, devido tratar-se de uma edificação com mais de 30 anos de uso, robusta executada em concreto para funcionamento de uma EEE-Estação Elevatória de Esgoto. Quando da execução das desmontagens e demolições previstas em projeto fomos encontrando as primeiras dificuldades, existência de concreto estrutural bem vibrado nas paredes e lajes das caixas dos silos dos desarenadores. Após a conclusão das demolições iniciamos a obra de reforma e adequação, deparamos com diversar interferências que também não puderam ser previsto quando da concepção do projeto. Para darmos prosseguimento sem colocar em risco o empreendimento, tivemos que com a obra em andamento efetuar alterações/intervenções nos projetos (estruturais, arquitetônico, água, luz, telefonia, dados e voz) para atender a nova realidade. Houve um envolvimento muito grande entre os profissionais responsável pelo projeto, construção, fiscalização e administração, oque tornou possível alcançar o objetivo.
Quanto aos materiais ecológicos aplicados não tivemos muitos problemas, além das especificações estarem bem elaboradas teve-se a preocupação de indicar a CONSTRUTORA as empresas representantes e fornecedoras dos equipamentos e materiais a serem aplicados no obra, deixando a seu critério também a pesquisa e aquisição no mercado desde que atendesse ao espcificado.

– Quais são os pontos positivos para o meio ambiente, sociedade e Sabesp?
Podemos dizer que a maior parcela que contribuiu positivamente foi a preocupação com os métodos de execução, de reutilizaçõa e materiais aplicados voltados a sustentabilidade, conforme abaixo elencados:
Minimização de resíduos
Aproveitamento otimizado do existente e utilização da maior parte do entulho gerado como aterro na própria obra .
Economia de energia elétrica
Sistema de iluminação inteligente com aproveitamento da luz natural
Brise para controle da insolação instalado na face norte do edifício
Paisagismo com espécies caducas na fachada norte:sombra no verão
Economia de água
Aproveitamento de água da chuva para as descargas das bacias sanitárias.
Caixas de descarga com fluxos de 3 /6 lts
Torneiras com temporizador/ acionamento mecânico
Mictórios com válvula acionadas por sensor eletrônico
Paisagismo com espécies xerófitas e/ou nativas regionais
Utilização de coberturas como seixos, pedrisco casca de pinus para manter a umidade no jardim
Qualidade do ar interno
Utilização de materiais com baixas emissões de COVs como tintas naturais e/ou a base de água e piso de linóleo
Paisagismo interno com espécies que removem poluentes do ar
Biodiversidade
Plantas  que forneçam alimento e abrigo à avifauna e polinizadores
Espécies da flora regional
Não utilização de espécies vegetais invasoras

Materiais com tecnologias de produção ambientalmente amigas e recicláveis
Tinta natural
Tinta 100% natural à base de silicato de potássio. Não emite compostos orgânicos voláteis e permite que a parede respire.
Textura externa natural
Feita à base de silicato de potássio.Não emite compostos orgânicos voláteis (poluentes atmosféricos
Piso linóleo
Produto natural feito à base de óleo de linhaça, serragem , cortiça, sedimentos de solo e pigmentos. Atua como bactericida e evita ácaros. É reciclável.
Forro de fibra mineral
Fabricado com fibra natural e reciclável ao contrário do de gesso acartonado
Tubulação de água fria em Polipropileno
A sua fabricação é bem menos poluente e consome menos energia  que a fabricação  do PVC.
Tubulação de esgoto
A sua fabricação é em poliéster e com garrafas PET recicladas em sua composição
Pastilha de vidro reciclado
Pastilhas fabricadas a partir de vidro 100% reciclado, o que faz com que o processo de produção economize até 70% de energia e 50% de água
Placa de poliet
Placa feita à partir da reciclagem de tubo de creme dental (polietileno + alumínio).
Fios e cabos elétricos ecológicos
Fios e cabos isentos de metais pesados na pigmentação dos cabos
Areia e brita reciclada
Obtidas a partir de entulho da construção civil
Blocos cerâmicos reciclados
Bloco que utiliza 10 a 30% de resíduos da indústria de papel na sua composição.
Telhas ecológicas
Feitas com monocamada de fibra vegetais, livre de amianto.
Cimento CPIII
Apresenta na sua composição 35% a 70% de escória de alto forno de siderurgia (resíduo), sem prejuízo da resistência após a cura.
Estrutura do telhado,portas e batentes de madeira certificada
A certificação garante  a proveniência da madeira e que a sua produção atenda a critérios sócio-ambientais

– Qual a importância desta obra para a Sabesp?
Que esta obra sirva de exemplo e que a partir desse momento todas as áreas e demais interessados, procurem realizar suas reformas e obras com o mesmo principio adotado pela Superintendência de Meio Ambientes, que com a dedicação de seus profissionais tornou possivel e contribuiu para a realização de uma reforma ecológicamente correta.

Anúncios

2 responses

19 04 2010
falaeescrita

Legal!!! Não tinha encontrado. Obrigada por responder.

8 03 2012
Marcela

Muito legal a reportagem e bonito ver que começou por baixo e hoje através de muita garra e determinação consegui alcançar seus objetivos e contribuir através do trabalho que é feito pela Sabesp a preservar o meio ambiente.Acho muito importante o trabalho do tratamento de esgoto pois a falta de água potável ainda é um problema presente em diversas regiões.




%d blogueiros gostam disto: