SCARLATO, Francisco Capuano. Do nicho ao lixo: ambiente, sociedade e educação

Fichamento do livro:  SCARLATO, Francisco Capuano; PONTIN, Joel Arnaldo. cons. RODRIGUES, Sérgio de Almeida. Do nicho ao lixo: ambiente, sociedade e educação. São Paulo: Atual, 1992. – Série meio ambiente (p. 2-109)

  • “O nicho, segundo o dicionário de ecologia (ACIESP), é definido como:” papel ecológico de uma espécie numa comunidade; conceituado também como espaço multidimensional cujas coordenadas são vários parâmetros que constituem a condição da existência da espécie. ” Pág. 2
  • “O crescimento da indústria automobilística acabou impondo uma nova perspectiva urbana. Em vez de se adaptar o automóvel às condições da cidade, adaptou-se a cidade ao automóvel.” Pág. 21
  • “a modelagem do clima global, que vem sendo realizada por vários grupos, tem apresentado diferentes resultados, que se justificam com base nos critérios e dados usados para elaboração dos modelos. Assim, há diferenças em previsões que chegam a 5º Celsius.” Pág. 40
  • “Os habitantes da moderna sociedade, principalmente, aqueles das grandes concentrações urbanas, dispõem de uma gama muito variada de artigos de consumo. Estes, em última instância, são porções de matéria relativamente complexa, tanto do ponto de vista e sua estrutura como do ponto de vista de seu conteúdo energético.” Pág. 51
  • “Para compreendermos o acentuado aumento e a diversificação na produção de lixo no mundo, precisamos compreender primeiro a dependência do desenvolvimento econômico aos mecanismos de mercado.” Pág. 52
  • “Sabemos que os estudos sobre o lixo ainda são precários. Mas certas evidências, como algumas denúncias veiculadas pela mídia e pelos movimentos ecológicos, permitem-nos formular algumas hipóteses sobre ele, sua relação com as questões ambientais e as vantagens de programas de reciclagem dos resíduos urbanos. Acreditamos que aqui resida uma questão concreta onde a multidisciplinaridade possa trazer grandes contribuições.” Pág. 53
  • “O lixo industrial e doméstico se enquadra no sentido mais abrangente de poluição, mas, analisado sob diversos aspectos, pode também ser visto como um problema social ou, ao contrário, como uma solução, ou, pelo menos, um paliativo para vários outros problemas. Tudo depende de bem como ele é tratado.” Pág. 54
  • “Existem diversos métodos de tratamento do lixo urbano. A opção por uma ou pela combinação de duas ou mais delas vai depender da composição do lixo e da política desenvolvida pelas autoridades sanitárias da região.” Pág. 54
  • “A incineração é uma técnica de eficiência discutida. Se por um lado reduz drasticamente o volume de lixo, por outro requer um criterioso controle de todo o processo para que a fumaça resultante da queima não constitua nova fonte de poluição no ar.” Pág. 57
  • “Hoje, quando a sociedade se preocupa em difundir a prática da coleta seletiva do lixo com vistas à reciclagem, essa técnica aparece para muitos como uma conquista recente da ciência e da tecnologia.” Pág. 57
  • “Adotar reciclagem significa ainda assumir um novo comportamento diante o ambiente, conservando-o o máximo possível. Como proposta de educação ambiental, a reciclagem ensina a população a não desperdiçar, a ver o lixo, como algo que pode ser útil e não como uma ameaça. “Pág. 58
  • “Uma das etapas mais onerosas dos tratamentos do lixo que visam sua reutilização é a separação adequada dos descartes.” Pág. 59
  • “Em 1992, a prefeitura de São Paulo estimou em 8 mil toneladas a massa correspondente volume de lixo recolhido no município de todos os dias. Para a grande São Paulo a estimativa foi de 15 mil toneladas. Desse total, uma boa parte compreende papéis e também plásticos.” Pág. 60
  • “O acumulo de materiais plásticos em reservatórios ambientais vem despertando grande preocupação. Algumas pesquisas relacionadas à investigação de compostos orgânicos em material particulado atmosférico e em águas identificaram uma série de compostos que poderiam ter o plástico como fonte primária.” Pág. 61
  • “No contexto desse livro usamos a expressão “reservatório natural” com o mesmo sentido de “ecossistema”. Pág. 63
  • “Desde que as florestas tropicais da África, da Índia e do Brasil começaram a ser devastadas de forma indiscriminada, iniciaram-se também as denúncias contra os desmatamentos.” Pág. 67
  • “As queimadas são a demonstração mais inequívoca da nossa incapacidade de bem administrar os recursos naturais de que dispomos.” Pág. 69
  • “As grandes potências estão sempre defendendo a preservação da Amazônia e de outras florestas. Em geral, exige dos países onde elas estão localizadas uma rígida política de preservação do meio ambiente como condição para novos investimentos e para financiar projetos de desenvolvimento. Entretanto, não podemos esquecer que durante o processo de fortalecimento de suas economias, várias dessas potências cometeram violentas agressões aos mais variados ecossistemas, sem que nenhuma interferência externa fosse feita.” Pág. 78
  • “Ensino e educação ambiental são atualmente duas áreas ligadas não só às escolas mas também a instituições como empresas, igrejas, associações de bairros e clubes, etc.,que estão sempre elaborando cursos e campanhas sobre ecologia.” Pág. 109

One response

19 04 2010
Suzana

Muito bom!!!
Parabéns pela organização!
Suzana




%d blogueiros gostam disto: