Eu e o “outro”. O “outro” e eu

Quando eu era adolescente, jogava Basquetebol, e através de olheiros fui jogar em um clube elitista na zona sul de São Paulo, eu era assalariado, tinha uma cota de bananas e de ovos que o fisiologista me obrigava a comer diariamente. Uma Kombi do clube fazia meu traslado do clube até minha casa e vice-versa, mesmo porque, eu morava em Santana, extremo oposto do clube, ganhava um par de tênis importado por mês e era obrigado a usar aquele agasalho nas cores pink e branco que fazia todos rirem de mim por onde eu passava.
O time era muito ruim, pois apenas o pivot e eu éramos contratados para “carregar o piano”, enquanto os filhos de diretores e conselheiros completavam o time. Eram cheios de boa vontade mas com péssimo rendimento.
Como atletas militantes podíamos usufruir do clube inteiro, inclusive da piscina, e foi lá que me deparei com o meu “outro”.
Estava na piscina após o treino, e reparei que havia uma turminha brincando bem próximo a espreguiçadeira em que eu estava, e nessa turma, estava um “colega” de time, que insistia em espirrar água  e me provocar. Mudei de lugar, fui para o outro lado da piscina, e o “dito cujo” foi lá e continuou me importunando. Como eu sabia que ele era filho de um diretor do clube, saí da piscina para não arrumar encrenca, e no dia seguinte fui dispensado do time por ter “discriminado” o tal moleque, este foi meu encontro com o “outro”, mas a história não termina aí, teve o reencontro com o”outro”.
Fui jogar em um novo clube, e esperava ansiosamente jogar contra o meu antigo clube, e quando esse dia chegou, a minha satisfação foi enorme ao encontrar meu antigo desafeto.Minha vingança foi jogar melhor do joguei a minha vida inteira, dar dribles e fintas que deixavam o pobre desconcertado, ganhei o jogo e fui muito xingado pelo pai dele, que era um fanático.Conclusão: conheci o “outro” e depois disso fui o “outro”.

Hélio Guerra

Anúncios

One response

21 06 2010
Suzana

Rsss. Blusa Pink! Boa história! Até.




%d blogueiros gostam disto: